quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Urashima Taro

0 comentários


Comercial da Varig, da época em que os vôos intercontinentais ainda estavam começando, que o meu pai encontrou pela internet. A música ficou na minha cabeça por dias (não só na minha, né Gu?) e a animação é uma graça!

Conta a história da lenda japonesa de Urashima Taro, um pobre pescador que salvou uma tartaruga, que estava sendo maltratada na praia por alguns homens. O pescador a soltou no mar e grata, a tartaruga voltou ao encontro de Urashima Taro e o convidou para conhecer o palácio de Oto-hime, a Senhora dos Mares, onde foi homenageado com um banquete que durou vários dias.
Com o tempo, o pescador teve saudades de sua terra e decidiu voltar para casa. Oto-hime deu a ele uma caixa, a Tamatebako, como presente de despedida. Ao receber a caixa, a princesa dos mares o advertiu que jamais deveria abrí-la, pois assim ele teria uma vida longa e feliz.

Então, Urashima Taro foi levado de volta a sua terra natal pela mesma tartaruga que foi salva por ele. Entretanto ao chegar em terra, não conseguiu mais reconhecer seu vilarejo e as pessoas que lá moravam. Ao perguntar na cidade sobre Urashima Taro, as pessoas disseram que de fato há muito, muito tempo atrás havia um pescador no vilarejo com este nome, mas que havia desaparecido misteriosamente.

Urashima Taro se deu conta de que vários anos haviam se passado em sua estadia no palácio de Oto-Hime e em sua tristeza e solidão, abriu a caixa. De dentro dela saiu uma fumaça branca que o envolveu e o transformou em um velho, pois dentro da caixa estava guardado todo tempo que Urashima Taro havia passado longe de sua terra.

A Varig ainda exibiu um segundo comercial com a continuação da história de Urashima Taro, que tem a mesma melodia que o anterior...


:D

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Vende-se chifre de unicórnio

1 comentários


Todo mundo gosta dessas curiosidades bizarras que aparecem pelo mundo...
Hoje descobri mais uma!
Está sofrendo de coração partido? Nada de aspirina, remédio para dormir, chocolate ou sorvete! A poção que cura este mal pode ser encontrada em uma farmácia na Estônia, e por apenas RS2,50. A tão procurada poção é feita com base em uma fórmula medieval e contém amêndoas, marzipan e outros ingredientes que não são divulgados.
“Nós continuamos a fazê-lo, porque a procura por ele tem continuado ao longo dos séculos”, fala Ulle, a farmacêutica da excêntrica drogaria.

Mas não para por aí...
Será que não está fazendo falta na despensa um pouco de pó de chifre de unicórnio? Por lá você também pode encontrá-lo, além de outras fórmulas e poções que vem sendo guardadas há séculos.
Acreditava-se (ou acredita-se, sei lá) que o chifre do unicórnio era um talismã com poder de cura e antídoto para venenos, e o pó do chifre poderia eliminar males provocados pela picada de animais venenosos, ataques de vermes, perda de memória, dentre outras coisas. O chifre era colhido na muda periódica de chifres (a cada 150 anos). Também acreditava-se no poder medicinal do pêlo do unicórnio, que era retirado apenas com a permissão do animal.
Na Idade Média, os poderes medicinais do chifre do unicórnio constavam na lista dos remédios aprovados pela Sociedade Inglesa de Medicina. (Que coisa, não?)

A drogaria estoniense também vende remédios comuns, mas com certeza não fazem tanto sucesso.

E aí? Vai um coração de coelho? Ou umas perninhas de sapo?

Para conferir a reportagem clique aqui.

:D

Canto do mundo

0 comentários


Canto do Mundo
(Caetano Veloso)

Pr'esse canto do mundo
De onde é que ele virá
Do meu sonho profundo
Ou do fundo do mar
Com que voz cantará
Com que luz brilhará
Há de vir seja como for
Pr'esse canto do mundo
De onde virá o amor?
Nessa vida vazia
Por que tarda meu bem?
Uma imensa alegria
Que se guarda pra quem?
Seja um anjo do céu
Seja um monstro do mar
Venha num disco voador
Mas que saiba que é meu
No segundo que olhar
Pelo encanto maior
Pr'esse canto do mundo
Quando virá o amor?
O meu amor...
O meu amor...