sexta-feira, 30 de abril de 2010

Cem anos de solidão

0 comentários


Terminei de ler "Cem anos de solidão", ainda longe de casa, na metade do engarrafamento habitual.
Estou fascinada com o estilo fantástico do Gabriel García Márquez, com seus personagens intrigantes e toda a saga pormenorizada da família Buendía, com suas crianças que nascem de olhos abertos e crescem para descobrir galeões em florestas, fabricar peixes de ouro, perder guerras e traduzir pergaminhos.
Indico para quem gosta de literatura fantástica, para quem curte o estilo da Isabel Allende (que é bem semelhante), para quem quer apenas um bom livro para se divertir ou para passar as horas...
Sempre que termino um livro de que gosto muito, é como uma despedida de cada um dos personagens. Fico com saudade deles por algum tempo, até me envolver com outro livro, mas quando ele termina, volta a saudade dos personagens antigos e dos novos, que acabei de conhecer. Mas existem alguns livros que me deixam, de verdade, com vontade de chegar a última página e retornar direto para a primeira.
"Cem anos de solidão" é um deles.
E Macondo é mais uma cidade da qual me despeço, imaginariamente, depois de viver nela e espiar seus habitantes por algumas semanas. Macondo esquecida pelos pássaros, inundada por chuvas incessantes, assolada pela peste da insônia, que ficará ao alcance dos dedos (ou melhor, dos olhos) em alguma estante do meu quarto, pronta para ser redescoberta, reconstruída, recontada.

Fica aí a dica, ou mais do que isso, o conselho de um bom livro.

:D

quinta-feira, 29 de abril de 2010

A lenda da Flauta de Pã

3 comentários
Estava eu, estudando História da Música, quando me deparo com a tal 'Flauta de Pã'.
"Mas, que diabos é isso? ¬¬"
Corri para o guru Google, capaz de sanar todas as nossas dúvidas, e eis que surge a imagem da flauta:





Quem passa pela Pça. Saens Peña ou pelos arredores da Uruguaiana já ouviu o som da flautinha, tocada pelos descendentes de índios que vendem seus cds por lá.

A Flauta de Pã é um instrumento composto por uma fileira de tubos, com tamanhos desiguais, fechados em uma extremidade. Dependendo da região esse instrumento pode ter algumas características diferentes e ser conhecido por diversos nomes como: siringe (Grécia antiga), nai (Romênia), siku ou antara (Andes) e etc.

A idéia de um instrumento com tubos de sopro é do final da Idade da Pedra, e ao longo do tempo, o instrumento foi sendo aperfeiçoado. Na China, o sheng, instrumento semelhante (com tubos dispostos em círculo e um orifício central para o sopro) é dito como o precursor (ainda que longínquo) do órgão. o.o
Fato é que a flauta me pareceu até mais simpática depois de ler a importância histórica e, claro, depois de encontrar uma lenda sobre ela.
Então, sem mais delongas, vamos a parte cultural mais divertida da coisa: a lenda da flauta de pã!

Ao instrumento associou-se a lenda do deus grego Pã, deus dos bosques, campos e rebanhos.
Pã era metade homem e metade bode, com uma barba espessa e chifres na cabeça, e tinha como uma de suas "responsabilidades" multiplicar os rebanhos.
Quando passava pela floresta, o deus Pã assustava as pessoas por sua terrível aparência (daí a palavra pânico).



Diz a lenda que Pã percorria o monte Liceu quando encontrou a ninfa Syrinx, por quem se apaixonou. As ninfas sempre zombaram dos chifres e dos pés de bode de Pã, e com Syrinx não foi diferente. A ninfa não quis saber dele e fugiu. Pã a perseguiu até a margem do rio Ladon, onde tentou agarrá-la no momento em que ela se transformou em um punhado de caniços.
Pã suspirou de tristeza, e os caniços se agitaram emitindo um som melancólico e doce.
Encantado com o som que vinha dos caniços, os juntou e unindo-se com cera formou uma espécie de flauta, a qual ele chamou de syrinx, em homenagem a ninfa. Esse instrumento é hoje conhecido como a Flauta de Pã.

:D

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Não conta lá em casa

0 comentários

Hoje começou a nova temporada do "Não conta lá em casa", programa que reúne 4 amigos que viajam por diversos países mostrando a cultura de cada lugar, sem estereótipos.
Na temporada passada eles viajaram para países em conflito: Mianmar, Coréia do Norte, Irã e Iraque, e mostraram que nem tudo é o que parece. Eles andaram pelas ruas, entrevistaram e interagiram com a população, nos mostraram as suas impressões e ainda nos deram uma aula de geopolítica.
Para abrir a nova temporada, eles passaram pela Cop 15, em Copenhague, para falar sobre o aquecimento global, os refugiados climáticos e de como este evento mobilizou tantas pessoas diferentes em torno de um assunto que diz respeito a todos nós.
Para quem quer assistir a temporada antiga, boa parte dela pode ser encontrada no Youtube.
"Não conta lá em casa" é exibido pelo Multishow, toda a quarta-feira às 22h30m, e vale muito a pena.

Para quem quiser dar uma olhada no blog de um dos meninos fica aí o link: http://colunas.multishow.globo.com/franontheroad.

:D

Concursos, concursos e... concursos!

2 comentários


Estou me inscrevendo para todo e qualquer concurso de Fonoaudiologia!
Desde que me pague mais do que uma loja do shopping! Até pq tem cada proposta salarial por aí que puts.... ¬¬'
Fato é que agora até o "Cafézinho" do Facebook foi abandonado... e o horário matinal livre da semana, antes destinado aos joguinhos, televisão e sono prolongado por mais umas horinhas, é agora propriedade dos sites de Português, das coisas da faculdade, das apostilas do SUS e dos exercícios cedidos pela Rejane, minha fiel patrocinadora (parte do meu primeiro salário será convertida em presentes para você, amiga!).
Literatura agora ficou para o tempo perdido todos os dias no engarrafamento (pelo menos dá para ler vários livros, né?...) e o Bloguinho... nha... a gente sempre dá uma passadinha só para escrever qualquer bobagem! :)

Mas ajeitando com carinho, no final dá tempo para tudo: família, amigos, namorado, violino, inglês, e um pouquinho de TV... :D

"O valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis."

Fernando Sabino


sábado, 24 de abril de 2010

Vivaldi

2 comentários
E, finalmente, chegou a hora de aprender Vivaldi! :)
Não é nada, nada, nada fácil... Mas vamos lá!




terça-feira, 20 de abril de 2010

Está prestes a acabar de começar!

1 comentários

Levanto os olhos e vejo um horizonte imenso, logo ali na frente!



Essa é a descrição mais próxima do que eu estou sentindo com o término da faculdade! E olha que ainda nem terminou de verdade... Ainda faltam provas, muitas provas... E só em Julho poderei descansar os miolos e pensar apenas na maneira mais divertida de jogar o capelo preto para o alto.
Mas, o fato de já avisar aos pacientes que não estarei mais lá no próximo período e, principalmente, de ter tirado as fotos de beca neste final de semana, dá aquela sensação de terminar uma etapa importante da vida...
As fotos ficaram lindas! Foi um sonho ver cada uma... Depois de ver tantas de outras pessoas terminando a faculdade, chegou a minha vez!!!
O dia estava ensolarado e ... quente.
Foram horas e horas a fio, de pé com um sapato desconfortável e uma beca preta, no solzão do Aterro do Flamengo... mas apesar de todo o cansaço, valeu muito a pena.
Saí de lá com a sensação de dever cumprido, e sabendo que parte daquele dia (a que exclui os pés doloridos e o calor da beca) ficará imortalizada, de alguma maneira.
Dizem que a época da faculdade é a mais gostosa dos nossos 20 e poucos anos... Com certeza as amizades que fazemos e tudo o que vivemos por lá marcam para sempre!
Agora é esperar, ANSIOSAMENTE, o final do período e o início de tudo que está para começar!






"As coisas findas, muito mais que lindas, estas ficarão"

Carlos Drummond de Andrade