terça-feira, 31 de agosto de 2010

Argentina, Buenos Aires



Ficou a saudade e as boas lembranças da viagem, além do povo do albergue no facebook.
Mas ficou ainda muita história para contar!

Uma curiosidade sobre Buenos Aires é que a campanha contra a AIDS lá é um pouco diferente da nossa. Lá você pode encontrar na maioria dos banheiros de cafés e restaurantes, uma máquina onde há preservativos que você compra por moedas de 1 peso (50 centavos se convertermos para o real).



Ainda bem que descobri isso lá no Café Tortoni... uma colega da nossa faculdade, que nos encontrou por lá, descobriu isso no banheiro do bar/boate em que nós estávamos, e veio desesperada: "Temos que sair daqui agora! Não sei que lugar promíscuo foi esse que nos indicaram mas, tem camisinha no banheiro!" rsrsrsrs

A noite deles é beeeem fraquinha, pelo menos para os cariocas que conhecem a Lapa... Aliás, experimente perguntar da Lapa para qualquer estrangeiro que já tenha ido lá: "Loco, locooo! Fiesta, fiesta!" "Ahhhhhh, Lapa! Putz... Muy bueno! Loco!" rsrsrs
Como já tinha dito antes, a noite lá começa de madrugada, e as ruas ficam todas cheias. Fomos a um bar chamado "La divina", que fica na Calle Defensa. Só começou a encher às 3h da madrugada. E detalhe, não sei se são todos os bares mas, neste ou você come ou você bebe... A partir de tal hora a cozinha fecha e só fica o bar... Nada de pestiquinho, batatinha, aipimzinho, nem mesmo media luna rsrsrs Para mim que adoro um petisco, isso não funciona! Lá a maioria dos lugares vende a cerveja Quilmes. E, a maioria, a vende em litrão pelo equivalente a 5 reais.
Aliás a água lá é muito cara! 4 reais a garrafa de 500 ml.

Alguém sabe a história das cores do Boca juniors?



Na época em que o time foi criado, as cores escolhidas para a camisa foram preto e branco. Só que havia outro time que já possuia as mesma cores. Decidiu-se, então, que seria realizada uma partida de futebol e que, ao final, apenas o vencedor ficaria com a camisa alvinegra. É claro que o Boca perdeu... E tendo perdido suas cores, todos caminharam até o porto e ficou decidido que as cores da primeira bandeira que aparecesse seriam adotadas pelo time. "Ainda bem que não foi a bandeira do Brasil" (piadinhas do guia contador de histórias... ¬¬)
A primeira bandeira que surgiu no porto foi a bandeira da Suécia.



E é por isso que as cores do Boca Juniors são azul e amarelo.

Outra coisa curiosa é que, na Argentina, as pessoas tem o hábito de se despedir desejando "Mucha suerte". Vocês não imaginam o medo que tal frase pode causar quando se está saindo de um albergue rumo ao desconhecido e, no caminho vc descobre, que o desconhecido não é tão seguro mesmo... Quando fomos ao Caminito pegamos um ônibus e saltamos ruas antes do local. Região portuária de Buenos Aires, tudo meio sujinho, meio feinho, totalmente diferente do Centro da cidade, que mais parece uma Europa. Tudo bem que carioca tira de letra. Mas ficamos pensando "Caramba... por isso nos desejaram muita sorte???" Só fomos descobrir que todo mundo dizia isso algum tempo depois rsrs

Gente, a Casa Rosada é muito bonita! Embora na visita guiada (grátis aos domingos) eles não expliquem praticamente nada. "Esta é a sala fulano de tal. Construída em tal época. Podem tirar fotos a vontade." o.o.... Mas pelo menos as fotos saíram bonitas rsrsrs Encontramos por lá alguns ícones brasileiros, que fazem parte do salão dos patriotas latino-americanos.

Tiradentes (cedido pelo Lula):



Plaquinha do Lula:



Getúlio Vargas:



Ainda encontramos uma outra foto do Lula no Museu da Cidade:



Algo impressionante em Buenos Aires é a quantidade de museus e obras históricas que você pode encontrar. Tem muitos! Alguns não conseguimos visitar por conta do horário, e como tínhamos sempre uma lista extensa para cumprir, de modo geral a pé, às vezes quando chegava a hora do museu ele já estava fechado... (e pegamos muitas coisas em obra também). Uma coisa que me impressionei também foi a quantidade de crianças indo ao teatro. E não, não era teatro infantil. Era o Teatro Colón (semelhante ao nosso Municipal) e o que estava em cartaz era canto lírico! Quando entramos no teatro (imenso por fora mas nem tão majestoso por dentro... sou muito mais o nosso!) dava para ver a quantidade imensa de crianças que acompanhava os pais. Dizem que em Buenos Aires as pessoas são mais intelectualizadas... Depois disso, não duvido...

Teatro Colón:





E por hoje é só, pessoal!

:D

0 comentários:

Postar um comentário