terça-feira, 31 de maio de 2011

Dia Mundial Sem Tabaco


É celebrado hoje, dia 31 de Maio, o Dia Mundial Sem Tabaco e, como fonoaudióloga, não posso deixar de tocar nesse assunto. Afinal, desde a época em que entrei na faculdade, e principalmente depois de fazer as aulas práticas e conhecer os pacientes que possuem seqüelas geradas pelo cigarro, esse assunto se tornou muito mais sério do que antes. Até porque, acho que até hoje não passei por situação que mais tivesse me impressionado do que ver um paciente laringectomizado (sem a laringe) por conta de câncer.

Então, não custa nada lembrar:

  • O cigarro possui 4.000 substâncias, entre as quais acetona, arsênico, butano, monóxido de carbono e cianido. Os pulmões dos fumantes e de quem está perto ficam expostos a pelo menos 43 substâncias comprovadamente cancerígenas.
  • Excluindo-se os tumores de pele, é o segundo tumor mais freqüente no Brasil, onde são estimados 25 mil novos casos, em 2011.
  • O tabagismo, embora sempre relacionado ao câncer do pulmão, também é fator de risco para leucemia, bem como tumores das cavidades nasais e oral, seios paranasais, nasofaringe, laringe, esôfago, estômago, pâncreas, fígado, rins, bexiga, intestino grosso e colo uterino


E quando você para de fumar, o que acontece???

  1. Vinte minutos depois de deixar o cigarro, a pressão arterial e os batimentos cardíacos retornam ao normal
  2. Um dia depois de largar o vício, as chances de infarto começam a reduzir
  3. Após três dias, há um aumento da capacidade respiratória
  4. Entre duas a doze semanas depois de largar o cigarro, a circulação sangüínea melhora
  5. No intervalo de 1 a 9 meses a tosse e as infecções das vias aéreas vão cessando. A capacidade física melhora
  6. Em um ano diminui o risco de doença coronariana em 50%. Em dez anos caem as chances do aparecimento de câncer
  7. No período de dez a 15 anos o perigo de desenvolver problemas cardíacos se iguala ao de uma pessoa que nunca fumou.
Então... Nem comece! E se você já fuma, comece a considerar largar o cigarro... Afinal, ninguém quer ficar vivendo sem laringe por aí.

0 comentários:

Postar um comentário