domingo, 17 de julho de 2011

Um violinista no telhado

Há alguns anos atrás comprei o filme "Um Violinista no Telhado". Nem sabia do que se tratava, mas como eu estava às voltas com as minhas apresentações de violino, acabei levando o dvd pra casa e, que surpresa a minha... o violinista era apenas uma metáfora. Fiquei meio desanimada mas continuei assistindo mesmo assim e, ao final daquelas quase duas horas de musical, me apaixonei pela história e pelos personagens.
Se passa numa pequena aldeia chamada Anatevka, na Rússia czarista, formada por judeus. A principal característica desse povoado é que todos guiam suas vidas segundo as tradições judaicas, sem se misturarem com os cristãos ortodoxos que vivem próximos dali. O início da peça mostra os papéis de cada um na sociedade.
Nosso protagonista é Tevye, leiteiro, pobre, casado e pai de cinco filhas. Seguidor das tradições judaicas, ele se vê obrigado a escolher entre segui-las ou abrir mão delas permitindo que as filhas se casem com quem desejam. Cheio de situações engraçadas e reflexões quanto ao que escolher, Tevye acaba conquistando o espectador.
Uma das coisas que mais gostei (difícil até selecionar, já que acho essa peça genial) é a forma como Tevye fala com Deus e reclama de todo o azar que acontece.
Além dele, os demais personagens são muito bem elaborados: a casamenteira que sempre inventa uniões estranhas, pensando a prosperidade econômica dos pretendidos; o açougueiroque deseja se casar com uma das filhas de Tevye, mesmo sem ser correspondido por ela; Tzeitel, o alfaiate, e também um dos pretendentes, que passa boa parte da história tentando conseguir sua máquina de costura; Fyedka, outro que deseja se casar com uma das filhas de Tevye e faz parte do exército do czar; e ainda um jovem judeu revolucionário (não lembro mesmo o nome dele) que ensina a Torah de um modo bem Marxista; o rabino, que é bem velhinho, e muito bem humorado em seus conselhos.
Um Violinista no Telhado ainda conta com a trilha sonora linda! E para quem gosta de História, a peça ainda mostra a Rússia czarista, a expulsão dos judeus e outras coisas mais.

Fica a dica da peça e do filme!
Vale a pena assistir em inglês também... as músicas são melhores, apesar da versão brasileira estar ótima.

:D

1 comentários:

Pablo disse...

Legal! Não conhecia... verei!

Postar um comentário