quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Pé de ar



Pé de pato para nadar ao longe
Pé da serra onde o sol se esconde
Pé de cabra para assustar
Pé de manga para balançar
Pé de feijão no algodão
Pé de moleque em São João
Pé de Pano pra cavalgar
Pé de nuvem pra imaginar
Pé de palhaço pra te fazer rir
Pé de coelho para a sorte vir
Pé de anjo pra alcançar o céu
Pé de moça delicado como papel
Pé d'água para atrasar
Pé de vento para dissipar
Pé de ouvido para segredar
Pé de quê pra te fazer sonhar?
Pede, que eu fico até o sol raiar

Leila Monteiro de Castro

2 comentários:

Pablo disse...

Pede bis pq o poema é mto legal!

Leilucha disse...

:D

Postar um comentário