terça-feira, 13 de dezembro de 2011

2x2 m²




É apertado aqui e muitas vezes falta ar
Embora tudo lhe pareça tão grande
Ele tentou levantar do chão mas logo notou
Não cabia nem metade do seu coração

O sol é quente lá fora mas é tão bonito
- Quero espiar enquanto a sombra não vem.
O vento passa raspando os pêlos da sua barba
E a poeira voa cobrindo os olhos de pó

- Se estico a mão pra te sentir, só um pouquinho
Dá um aperto aqui dentro que dói;
Um dia, juro, ainda saio daqui
Corro atrás de você e te levo comigo.

Porque um dia tudo muda, até o que é bom se vai
- Vou me alargar na estrada dos meus sonhos
Te dou carona para onde quer que eu vá;
Espero que também seja onde você quer ficar.

Leila Monteiro de Castro

0 comentários:

Postar um comentário