sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Folia de Reis - Exposição "Máscaras"


Já faz algum tempo que penso em escrever um post sobre essa festa. A Folia de Reis fez parte da minha infância e isso já seria motivo suficiente para falar dela aqui.
Esta semana, saindo da faculdade, resolvi entrar na Galeria Cândido Portinari (UERJ) e dar uma olhada na exposição Máscaras que estava sendo anunciada há algum tempo. Para minha surpresa o tema das máscaras escolhidas era o próprio: Folia de Reis.
Logo de cara percebi que a folia que eu conhecia não era exatamente igual (ou a minha memória distorceu algumas coisas - o que não é impossível). Na que eu assistia não havia tanta variedade de instrumentos e os mascarados eram na verdade bate-bolas. Admito que não conhecia tanto de Folia de Reis. Assistia sempre o início da folia e os foliões não entravam nas casas da minha rua.


A Folia de Reis procura reproduzir a viagem que os três Reis Magos - Gaspar, Baltasar e Melquior - fizeram, segundo a tradição cristã, ao local onde nasceu Jesus. O festejo acontece entre 25 de Dezembro e 6 de Janeiro (Dia de Reis).

"Em geral, as Folias de Reis originam-se de promessas religiosas dedicadas aos Reis Magos, como forma de retribuição por benefícios e graças alcançados (...) Diz-se que, uma vez a folia criada, deve manter-se obrigatoriamente em atividade por sete anos consecutivos"

É composta por diversos símbolos e deve seguir um ritual.

A bandeira deve ser levada à frente da Folia, carregada geralmente por uma mulher, a bandeireira. É uma espécie de estandarte, decorada com flores, fitas e enfeites natalinos, e possui grande valor simbólico dentro do festejo.


A música inicia a folia - tocada por tamborins, tambores, surdo, viola, triângulo, violão, acordeão e outros - segue até as casas dos devotos. A bandeira é transferida ao dono da casa, que a leva ao interior da residência, seguido pelos foliões, que narram em forma de verso a anunciação do nascimento de Jesus, a viagem dos Reis Magos e demais episódios bíblicos.
Os palhaços (mascarados, bastião ou boneco) possuem diversos simbolismos, dependendo do local onde a Folia acontece. Ao sul de Minas Gerais, o palhaço simboliza os Reis magos:

(...) "os palhaços vêm à frente, ladeando a bandeira, a anunciá-la aos donos das casas (...) Os palhaços são, por vezes, confundidos com os próprios Reis Magos, sobretudo quando levantam a parte frontal da máscara, transformando-a em uma verdadeira coroa"
(Guilherme Porto, 1982)

No Rio de Janeiro, em geral, os palhaços simbolizam os soldados de Herodes - que teriam perseguido o menino Jesus na intenção de matá-lo -, Exu, o Diabo, ou até mesmo o próprio Herodes. Eles acompanham a Folia e, durante o início do ritual, devem esperar na rua, enquanto brincam e assustam as crianças. Estes só podem entrar após a breve refeição que se dá dentro da residência. Devem pedir licença em forma de versos, o que acontece por diversas vezes.

(Renato Caetano - Alma Negra. Friburgo-RJ)

"Eu gosto de comtemplar
Com liberdade constante
A serra sempre azulada
Onde pasta o ruminante
Ô patrão, me dá licença
Pra chegada do Gigante "
(Palhaço Gigante)


O palhaço deve divertir o público e tirar proveito das moedas que são jogadas ao chão pelos fiéis. Durante a permanência do palhaço na residência, a bandeira deve ser coberta com um pano ou retirada do local, devido a incompatibilidades rituais entre eles. Após a brincadeira, o palhaço retorna a cantoria, dessa vez fazendo agradecimentos e despedindo-se. Os fiéis reúnem-se para receber as bênçãos ofertadas por meio da bandeira e, em seguida, os foliões se despedem e seguem para a próxima casa.
Antes de saírem para a Folia, os palhaços costumam rezar, usar amuletos, louvar a bandeira e receber o passe das benzedeiras.

Além da máscara - sempre confeccionada com aparência monstruosa - usam farda feita de chitão ou farrapos, levam um cajado em forma de cobra e um chapéu enfeitado na cabeça.

Ao final das visitações, a Folia leva a bandeira ao altar de onde foi tirada. Os foliões despedem-se da bandeira ajoelhando-se diante dela. Em seguida a mesma é pousada sobre suas cabeças, benzendo-as. Os palhaços retiram as máscaras, caminham em direção a bandeira, deitando-se de bruços a frente dela. A bandeireira gira a bandeira sobre as costas dos palhaços fazendo o sinal da cruz. Neste momento do ritual os palhaços pedem perdão pela perseguição ao menino Jesus e se convertem.
A exposição ainda conta com vídeos mostrando os rituais, a cantoria dos versos - parecido com o repente - e diversas máscaras, além dos instrumentos musicais usados na Folia.
A Folia de Reis acontece em diversas comunidades do Rio e em outros lugares do Brasil. Particularmente adorei a exposição, as máscaras e os adereços. E se pudesse postaria aqui o vídeo do palhaço recitando o "repente".


A exposição "Máscaras" acontece na Galeria Cândido Portinari - UERJ (campus São Francisco Xavier) até o dia 9 de Dezembro, de segunda à sexta-feira, das 9h às 20h.


Ainda dá tempo! :D

Referências:

Máscaras - Rio de Janeiro: UERJ, DECULT, Galeria Cândido Portinari, 2011.

12 comentários:

Anne Tavares disse...

isso é lindo
tenho o maior orgulho de participar levando a bandeira todos os anos em minha cidade
entre os dias 24/12 até o dia 06/01 do ano seguinte nada de compromisso é mais importante que a folia de reis

Anônimo disse...

concordo plenamente

Vanessa Pavan disse...

Mto bacana!

Anônimo disse...

O interessante é que cada região tem um jeito diferente de fazer a diferença. E a cidade maravilhosa como sempre abrilhantando esse momento cultural com suas belas máscaras, espalhando alegria, expressando a cultura religiosa com o altar, o respeito ás culturas. E a vestementa muito legal,caracteriza o momento que comemora a folia de reis que eu não conhecia.

Maria Aparecida Gomes dos Santos disse...

Maria Aparecida

O interessante é que cada região tem um jeito diferente de fazer a diferença. E a cidade maravilhosa como sempre abrilhantando esse momento cultural com suas belas máscaras, espalhando alegria, expressando a cultura religiosa com o altar, o respeito ás culturas. E a vestementa muito legal,caracteriza o momento que comemora a folia de reis que eu não conhecia.

Maria Aparecida Gomes dos Santos disse...

Maria Aparecida

O interessante é que cada região tem um jeito diferente de fazer a diferença. E a cidade maravilhosa como sempre abrilhantando esse momento cultural com suas belas máscaras, espalhando alegria, expressando a cultura religiosa com o altar, o respeito ás culturas. E a vestementa muito legal,caracteriza o momento que comemora a folia de reis que eu não conhecia.

QUERO APRENDER disse...

É muito bonita a Folia de Reis com todas essas fantasias e cores, mas principalmente a fé que é a razão pela qual ainda permanece até os dias de hoje, na minha região aqui em Goiás as folias são mais simples mas com a mesma intensidade.

QUERO APRENDER disse...

É muito bonita a Folia de Reis com todas essas fantasias e cores, mas principalmente a fé que é a razão pela qual ainda permanece até os dias de hoje, na minha região aqui em Goiás as folias são mais simples mas com a mesma intensidade.

Maria Aparecida Gomes dos Santos disse...

Existem muitos movimentos religiosos acerca da folia de reis inclusive no entorno de Brasília. Onde comemoram durante o ano as festas que são tradição entre as famílias. É muito interessante!

Maria Aparecida Gomes dos Santos disse...

Existem muitos movimentos religiosos acerca da folia de reis inclusive no entorno de Brasília. Onde comemoram durante o ano as festas que são tradição entre as famílias. É muito interessante!

NIlia Ribeiro disse...

Confesso que já a algum tempo havia me distanciado da tradição da Folia de Reis, mas quando era criança, morei muito tempo em fazenda, e lá minha família sempre recebia grupos de folia, como diziam para "dar pouso", lembro-me que gostava daqueles momentos. As crianças ficavam em volta do palhaço, alguns com medo, outras querendo brincar, fazer graça para colocá-lo na "roda de pegar". Hoje estou muito feliz, pois através desta atividade, ontem pude apresentar o meu filho (de 10 anos) a este universo que fez parte da minha infância.

revelino de souza disse...

sou palhaco de folia de reis. e sou apaichonado por folia de reis.

Postar um comentário