sábado, 12 de maio de 2012

Sobre tudo o que resta


O que sobra da merenda é um resto de lanche,
O que sobra da noite é um resto de choro,
O que sobra do quadro é um resto de tinta,
O que fica do tempo é um bocado de espaço.

O que sobra da memória é um resto de cheiro,
O que sobra da semana é um resto de sábado,
O que sobra do dia é um resto de sol,
O que pende do risco é um trecho de traço.

O que sobra da guerra é um resto de paz,
O que sobra do prisma é um resto de cor,
O que sobra do poeta é um resto de texto,
O que mancha o chão é um rastro de passo.

O que sobra do homem é um resto de pó,
O que sobra do sono é um resto de sonho,
O que sobra de nós é um resto de laço,
O que brilha do todo é um pouco de mim.

Leila Monteiro de Castro

3 comentários:

Pablo disse...

fico sendo repetitivo aqui, aí parece que falo por falar. Mas não é mesmo! Mais uma vez, muito bom!!!

Fernanda Rodrigues disse...

Ameiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii, lindo demais leiluchinha. Você como sempre arrasando. Adoro esse seu blog mais que especial. bjinhos...

Leilucha disse...

Obrigada! :)

Postar um comentário