quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Noite sem luar




Fez um coque na cabeça e sorriu
Pois há tempos não via tantas luzes no céu
Anos atrás numa madrugada que não devia acabar
A via láctea sobre eles brilhava
O seu sorriso acendia sem luar
E até a cor dos seus olhos ele podia adivinhar
A música vinha de longe
Não tão longe que não pudessem dançar
E dançaram cangas, dançou a areia e dançou a fita
Do seu cabelo que balançava com a brisa
Que vinha daquele mar que nunca se cansava de beijar
Nem ele a ela, nem ela a ele,
Nem o mundo aos sonhos que ela trazia
E que nunca quis deixar.

Leila Monteiro de Castro

1 comentários:

Emily Silvano disse...

Que lindinho *-*

Postar um comentário